Evolução dos Sistemas Computacionais

Da Invenção ao Futuro…

Evolução Histórica

ANO

FACTOS MAIS RELEVANTES

Desde 3000 a.C.

Ø O ábaco foi o primeiro objecto de cálculo e ainda hoje é usado, em particular na Ásia rural;

Ø Também foram usadas pedras para fazer contas no Antigo Egipto e noutras regiões. O termo Cálculo deriva do termo latino calculus (pedra), e por este motivo estendido à designação Cálculo Matemático. Em medicina usa-se o termo cálculo renal para designar uma “pedra” nos rins;

Ø Até ao fim da Renascença pouco ou nada se passou em termos de dispositivos para calcular. Os principais desenvolvimentos deram-se ao nível da matemática e da lógica, tendo os árabes, os gregos e depois os europeus como protagonistas. Instrumentos como o astrolábio e o nónio eram instrumentos de medição, não de cálculo;

Ø Um dos factores fundamentais para o aparecimento das primeiras máquinas de cálculo mecânico foi o desenvolvimento durante os séculos XVI e XVII da mecânica de precisão usada na relojoaria.

 

1622

Ø William Oughtred inventou uma régua de cálculo (circular) para calcular logaritmos neperianos.

 

1642

Ø Blaise Pascal, filho de um cobrador de impostos, desenvolveu o primeiro somador mecânico, a “Pascalaine”, que já incluía um mecanismo de “e vai um”automático.

 

1801

Ø Joseph-Marie Jacquard desenvolveu um tear mecânico cujas operações eram comandadas por meio de .

 

1822

Ø Charles Babbage constituiu a Difference Engine, o primeiro computador mecânico usado para calcular funções matemática e produzir tabelas dos valores resultantes.

 

1834

Ø Charles Babbage começou a desenhar a Analytical Engine que, ao contrário da máquina anterior, podia executar vários algoritmos, usando cartões perfurados para entrada de dados e uma placa de cobre que era gravada com os dados de saída. À frente do seu tempo esta máquina integralmente macânica tinha já os componentes fundamentais dos computadores de hoje. O problema é que a tecnologia mecânica não era fiável para uma máquina tão complexa. A parte do cálculo só foi acabada pelo seu filho em 1906.

 

1889

Ø Herman Hollerith desenvolveu uma máquina electromecânica para auxiliar o trabalho de processamento de dados nos censos da população dos Estados Unidos. Usava cartões perfurados, em que um estilete permitia a passagem de corrente eléctrica quando o cartão apresentava um buraco. Foi usada com sucesso nos censos de 1890 e 1900, a primeira grande aplicação de processamento de dados. Hollerith fundou uma empresa que mais tarde deu origem à IBM.

 

1906

Ø Lee de Forest inventou a válvula electrónica com controlo de corrente, que permitiu mais tarde implementar os primeiros computadores electrónicos. Uma válvula electrónica tem um eléctrodo  (o cátodo) aquecido ao rubro e que emite electrões para outro eléctrodo (ânodo). Um terceiro eléctrodo colocado entre dois (grelha) permite controlar a corrente de electrões. Com isto é possível construir circuitos electrónicos, mas uma válvula gasta muita potência para o conseguir.

 

1934

Ø Konrad Zuse desenvolveu um computador com relés electromagnéticos (operacional em 1941)

 

1943

Ø Sob pressão da 2ª Guerra Mundial o Colossus foi desenvolvido em Inglaterra para decifrar o sistema de cifra das mensagens almas (que usavam um diapositivo chamado ENIGMA). Foi o primeiro computador electrónico, usando válvulas electrónicas.

 

1944

Ø O Mark I foi desenvolvido por Howard Aiken na universidade de Harvard, usando relés com base na Analytical Engine que Babbage não conseguiu construir com componentes mecânicos. Tinha cerca de 750.000 componentes electromecânicas e era programado estabelecendo ligações eléctricas dentro do próprio computador.

 

1945

Ø John von Neumann publicou um artigo em que descreve a arquitectura básica de um computador em que o programa estava guardado em memória, como números, eliminando a necessidade de fazer alterações físicas nas ligações do computador;

 

Ø Grace Hopper descobriu o primeiro bug no Mark II, sucessor do Mark I: uma traça (insecto) tinha ficado presa no contacto de um relé, impedindo-o de funcionar!

 

1946

Ø O ENIAC ficou operacional, embora tarde de mais para as aplicações militares que suscitaram o seu desenvolvimento (a 2ª Guerra Mundial acabou). Tinham 18000 válvulas electrónicas e pesava 30 toneladas. Era programado com uma multidão de cabos num painel. As válvulas eram pouco fiáveis, o computador funcionava poucas horas até alguma das 18000 válvulas se avariar.

 

1947

Ø Foi desenvolvido o primeiro transístor. Tal como a válvula electrónica, permite implementar circuitos de computador, mas sem a energia de aquecimento do cátodo e com tensões mais baixas, gastando muito menos energia e de forma muito mais fiável. Por este desenvolvimento, Bardeen, Brattain e Schokley ganharam um prémio Nobel em 1956. Em poucos anos, os transístores tornaram as válvulas obsoletas.

 

1948

Ø Apareceu o primeiro disco magnético como memória de massa não volátil.

 

1949

Ø O EDSAC ficou operacional. Foi o primeiro computador a usar a memória para armazenar o programa, segundo o modelo de von Neumann.

 

1954

Ø No MIT foi desenvolvido o primeiro computador apenas com transístores, o TX-0. Entretanto, o estado da arte comercial era estabelecido pelo IBM 650, que usava válvulas.

 

1957

Ø John Backus da IBM desenvolveu o primeiro compilador de FORTRAN (FORmula TRANslator), uma linguagem de programação de alto nível adequado ao cálculo científico. Até então, os computadores eram programados directamente em código-máquina.

 

1958

Ø Foi produzido o primeiro circuito integrado, com cinco transístores.

 

1959

Ø A IBM desenvolveu o primeiro computador comercial transistorizado, o IBM 7090;

Ø Foi definida uma linguagem COBOL (Common Business Oriented Language), tendo em vista o processamento de dados;

Ø John McCarthy desenvolveu a linguagem LISP para aplicações de inteligência artificial.

 

1960

Ø Foi definida a linguagem ALGOL, percursora da maior parte das linguagens de programação, tais como Pascal e C;

Ø A DEC desenvolveu o PDP-1, o primeiro computador comercial com um teclado e um monitor (até aqui, a interface com o utilizador resumia-se em imensos painéis de interruptores e luzes, para além de unidades de leitura e escrita de fitas de papel perfuradas).

 

1961

Ø A Fairchild Semiconductors produziu o primeiro circuito integrado comercial.

 

1963

Ø Foi definido o código ASCII (American Standard Code for Information Interchange), que colocou ordem na diversidade de codificação dos caracteres usada pelos vários fabricantes. Isto possibilitou a troca de informação entre computadores.

 

1964

Ø A primeira versão de BASIC (Beginner’s All-purpose Symbolic Instruction Code) foi desenvolvida;

Ø O “rato” foi inventado por Doug Engelbart.

 

1965

Ø Gordon Moore notou que o número de transístores que se conseguiam colocar num só circuito integrado aumentava para o dobro em cada 18 meses. Isto ficou conhecido como a Lei de Moore e, surpreendentemente, tem vindo a manter-se válida aproximadamente desde então;

Ø A IBM desenvolveu o System/360, o primeiro computador a usar circuitos integrados em vez de transístores individuais. Foi também o primeiro a usar a mesma arquitectura ao longo de uma família de computadores, desde um pequeno até um com maiores capacidades. Foi o primeiro hardware, dando uma interface comum aos vários modelos para o software;

Ø A DEC produziu o PDP-8, o primeiro mini computador, muito mais barato que os grandes IBMs e alargou o leque de empresas que podiam ter computador próprio.

 

1968

Ø É criada a Intel, empresa fabricante de circuitos integrados;

Ø Na sequência do desenvolvimento do rato, Douglas Engelbart demonstrou pela primeira vez que os computadores podiam ser controlados por manipulação de objectos no ecrã em vez de linhas de texto.

 

1969

Ø A Intel produziu o primeiro microprocessador de 8 bits, o 4004, capaz de processar apenas 4 bits de cada vez e incorporando 2000 transístores.

 

1971

Ø A primeira versão do Unix (um sistema operativo, ou programa de gestão de um computador) foi desenvolvida nos Bell Laboratories. Uma das suas grandes vantagens e razão do sucesso é a facilidade de adaptação às arquitecturas na qual se pretende instalar;

Ø Niklaus Wirth concebeu a primeira linguagem de programação estruturada, Pascal;

Ø A IBM desenvolveu a primeira disquete, de 8 polegadas.

 

1972

Ø A Intel produziu o primeiro microprocessador de 8 bits, o 8008.

 

1974

Ø Bob Metcalf da Xerox demonstrou pela primeira vez a ethernet, a tecnologia que está na base das redes locais de computadores;

Ø A Intel desenvolveu o 8080, um microprocessador de 8 bits melhorado face ao 8008 e usado nos primeiros computadores pessoais. Um aspecto interessante é que esses primeiros computadores eram vendidos em kit e os utilizadores tinham de os montar antes de os utilizar;

Ø A linguagem C apareceu, bastante integrada com o sistema operativo Unix, e desde logo foi um sucesso, em particular no meio universitário. Ironicamente, uma das razões para o seu sucesso foi o seu relativo baixo nível, permitindo com facilidade truques de implementação que por exemplo Pascal, com as suas regras de programação estruturada, simplesmente não permitia.

 

1975

Ø A Intel produziu o 8085 como resposta ao Z80, um microprocessador da Zilog, com mais funcionalidade, mais rápido e mais barato do que o 8080 da Intel. O 8085 continuou a ter 8 bits;

Ø Bill Gates e Oaul Allen, fundadores da Microsoft, produziram um compilador de BASIC para o Altair 8800 (um dos primeiros computadores).

 

1976

Ø Bill Gates e Paul Allen fundaram a Microsoft;

Ø Steve Wozniak e Steve Jobs fundaram a Apple e produziram o Apple I;

Ø Seymor Cray desenvolveu o Cray-1, o primeiro supercomputador (no outro extremo da escala dos computadores).

 

1978

Ø A Intel desenvolveu o primeiro microprocessador de 16 bits, o 8086.

 

1979

Ø Dan Bricklin desenvolveu a primeira folha de cálculo, o VisiCalc, o precursor do Lótus 123 e do Microsoft Excel. Corria no Apple II e teve um grande papel no sucesso deste computador;

Ø A Intel lançou o 8088, um 8086 com uma ligação de dados à memória de apenas 8 bits, para ter um custo menor.

 

1981

Ø A IBM lançou o primeiro computador pessoal (IBM-PC) orientado ao mercado empresarial (por oposição aos anteriores computadores pessoais, mais dedicados ao entusiasta e aos jogos). Tinha um 8088 como microprocessador e a primeira versão do MS-DOS como sistema operativo. A IBM fez algo muito incaracterístico: lançou uma arquitectura que não era sua, com um sistema operativo que não era seu e ainda por cima publicou as especificações do computador. Este facto permitiu a inúmeras empresas fabricarem imitações (clones) a mais baixo custo e produzirem placas de hardware para estender a funcionalidade do PC. Resultado: um enorme sucesso;

Ø David Patterson desenvolveu um pequeno microprocessador a que chamou RISC I (Reduced Instruction Set Computer), com uma arquitectura muito simples, por oposição às arquitecturas cada vez mais complexas da altura e desenvolvidas de forma independente do software. O RISC I foi desenvolvido em estreita colaboração com o compilador e os excelentes resultados surpreenderam a indústria. Hoje em dia, todos os microprocessadores incorporam as ideias básicas da filosofia RISC (embora não tenham necessariamente um número reduzido de instruções).

 

1982

Ø A Intel lançou o 80186, que essencialmente era um 8086 com muitos dos periféricos encontrados no PC incorporados no próprio circuito integrado do microprocessador;

Ø A Intel lançou ainda o 80286, um microprocessadorde 16 bits, um microprocessador de 16 bits mas com importantes melhorias na funcionalidade e nas capacidades. Um factor extremamente importante e que tem sido ponto de honra desde então nos microprocessadores da Intel é a compatibilidade. Qualquer novo processador tem sido compatível com os anteriores (os que não foram redundaram em fracasso);

Ø Apareceu o Cray X-MP, que consistia em dois Cray I ligados em paralelo;

Ø O Osborne I foi o primeiro computador transportável (e não propriamente portátil, pois pesava 12 Kg).

 

1983

Ø A Microsoft desenvolveu uma nova versão do sistema operativo do PC, MS-DOS 2.0;

Ø A revista Time elegeu o IBM-PC como o “homem” do ano!

 

1984

Ø A Apple lança o primeiro Macintosh.

 

1985

Ø A Microsoft lançou a primeira versão do Microsoft Windows, baseando-se em boa parte as ideias de interface de utilizador do Macintosh (que por sua vez se tinha baseado nas ideias do Alto, um computador pessoal muito inovador desenvolvido pela Xerox);

Ø A Intel desenvolveu o 80836, o primeiro microprocessador de 32 bits;

Ø Os CD-ROMs apareceram também neste ano;

Ø O Cray 2 foi desenvolvido, com uma capacidade de cálculo de cerca de 1000 milhões (10
9) de operações por segundo. Também a Connection Machine, composta por milhares de processadores elementares, apareceu neste ano para explorar o paralelismo massivo nos programas.

 

1986

 

Ø A Microsoft lançou o MS-DOS 3.0;

Ø Foi desenvolvido o primeiro microprocessador RISC comercial, o MIPS R2000.

 

1987

Ø A Microsoft lançou o Microsoft Windows 2.0;

Ø A IBM e a Microsoft lançam a primeira versão do OS/2, um sistema operativo alternativo, que acabou por não “pegar”;

Ø A Sun Microsystems desenhou a arquitectura SPARC (Scalable Processor ARChitecture), com base nas ideias do RISC II, sucessor do RISC I. No entanto, não o fabricou. Licenciou a arquitectura a vários fabricantes de circuitos integrados. Esta estratégia contrastou com a postura de outras empresas, como a DEC, que acabou por não conseguir competir com as sucessivas evoluções do PC e acabou por ser comprada pela Compaq em 1998.

 

1988

Ø A Microsoft lançou o MS-DOS 4.0;

Ø O primeiro vírus apareceu na Internet.

 

1989

Ø Tim Berners-Lee concebeu a tecnologia de base da WWW (World Wide Web). O objectivo inicial era apenas desenvolver um sistema para visualização de gráficos para os cientistas do CERN, mas acabou por se tornar numa das tecnologias com maior impacte, ao permitir às pessoas e empresas disponibilizar informação na Internet de forma simples e universal;

Ø A Intel lançou o 80486, que incorporou pela primeira vez no próprio microprocessador a unidade de computação em vírgula flutuante.

 

1990

Ø A Microsoft lançou o Windows 3.0.

 

1991

Ø A Microsoft lançou o MS-DOS 5.0;

Ø A Thinking Machines introduziu o CM-5, um supercomputador massivamente paralelo com uma capacidade máxima de cerca de 64.000 milhões de operações por segundo;

Ø Apareceu o MIPS R4000, o primeiro microprocessador comercial de 64 bits.

 

1992

Ø Apareceu o DEC Alpha, a segunda arquitectura de 64 bits, dirigido ao mercado profissional de estações de trabalho e servidores. Com um excelente desempenho (muito superior aos microprocessadores da Intel, de 32 bits e muito mais baixa frequência de trabalho), nunca teve software adequado e foi o último grande desenvolvimento da DEC.

 

1993

Ø A Intel lançou o primeiro Pentium, sucesso do 80486 mas ainda de 32 bits;

Ø A IBM, Motorola e Apple lançam o primeiro microprocessador da família do PowerPC, o 601;

Ø A Microsoft lançou o Windows NT, o MS-DOS 6.0 e um conjunto de ferramentas (Office 4.0).

 

1994

Ø A Intel descobriu uma falha no algoritmo de divisão do Pentium, mas com baixa probabilidade de erro. Em vês de o corrigir, o que teria custos e atrasaria a produção, decidiu avançar assim mesmo, corrigindo o erro na próxima versão, enquanto produzia cerca de 5 milhões de Pentium com o erro. Pouco depois, um matemático descobriu o erro e publicou-o na Internet. A Intel tentou desvalorizar o problema, dizendo que a probabilidade de acontecer era muito pequena e que afectava apenas números muito precisos, mas a polémica que se seguiu a nível mundial forçou a Intel a recolher e substituir todos os Pentium defeituosos, com um custo estimado em 500 milhões de dólares, talvez cerca de 1000 vezes o custo de reparar o erro antes de produzir os Pentium. Para já não falar nos custos de imagem da Intel…

 

1995

Ø A Sun Microsystems desenvolveu a linguagem de programação Java, a primeira a ter em conta explicitamente a natureza distribuída da Internet. Pela primeira vez, é assumido que um programa não tem de estar todo carregado num computador para este o executar. Isto levou mais tarde ao princípio “A rede é o computador” e ao desenvolvimento de terminais gráficos sem processamento local e ligados em rede a um servidor;

Ø A Sun Microsystems desenvolveu a arquitectura UltraSPARC, de 64 bits;

Ø A Microsoft lançou o Windows 95, que melhorou bastante a interface com o utilizador;

Ø A Intel melhorou o Pentium, lançando o Pentium Pro.

 

1997

Ø A Intel acrescentou um conjunto de instruções (MMX) ao Pentium para melhor suportar as operações multimédia;

 

Ø A Microsoft estendeu a funcionalidade e a integração do Office com o Office 97;

Ø Foi descoberto novo erro no Pentium. Desta vez mostraram que tinham aprendido a lição. Reconheceram o erro e arranjaram uma solução de correcção em software.

 

1998

Ø A Microsoft lançou o Windows 98 e enfrentou problemas legais, em especial devido à incorporação do Internet Explorer no próprio sistema operativo.

 

1999

Ø O reino do Unix foi estendido aos PCs através de uma versão simplificada, o Linux, que tem ganho sucessivamente importância e é na prática a única alternativa ao Windows nos PCs;

Ø A Intel lançou o Pentium III.

 

2000

Ø A Intel lançou o Pentium 4.

 

2001

Ø A Intel lançou o seu primeiro processador de 64 bits (Itanium).

 

2002

Ø A Intel lançou um Pentium 4 com capacidade de correr duas tarefas simultaneamente (hiperfluxo, ou hyperthreading);

Ø A Intel lançou o Itanium 2, com 220 milhões de transístores.

 

2003

Ø A AMD lançou os seus primeiros processadores de 64 bits (Opteron e Athlon 64).

 

2004

Ø A Intel lançou o Itanium 2 Madison, com quase 600 milhões de transístores num só circuito integrado;

Ø A IBM lançou o primeiro processador comercial de dois núcleos (PowerPC G5).

 

2005

Ø A Intel lançou os seus processadores de dois núcleos (Pentiums Extreme e D e o Xeon);

Ø A AMD lançou os seus processadores com dois núcleos (Dual-core Opteron e Athlon 64 X2);

Ø A Apple anunciou que vai deixar de usar PowerPCs e passar a usar processadores da Intel.

 

2006

Ø A Intel lançou o Core Duo, fazendo chegar os dois núcleos aos PCs portáteis;

Ø A Intel lançou o Itanium Montecito, um processador com dois núcleos Itanium com 12 MBytes de cache interna cada, num circuito com cerca de 1720 milhões de transístores;

Ø A Sun lançou o Niagara, um processador UltraSPARC II com oito núcleos;

Ø A Intel anunciou o lançamento do Xeon com quatro núcleos em Novembro.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

  

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Fonte: DELGADO, José ; RIBEIRO, Carlos – Arquitectura de computadores. Lisboa : FCA, 2007. Pag. 18-23

 

 Post publicado por Carina Faria

  

O que é um computador?

 

O Computador é um diapositivo electrónico que, face a determinadas instruções que lhe são introduzidas, nos faculta a informação que desejamos.

O computador recebe dados (input) e processa-os ou trata-os para produzir informação (output). Estas funções são controladas por um programa (conjunto de instruções) integrado na memória do computador.

 

O que é um Sistema Computacional?

Um Sistema Computacional é constituído pelo computador, pela sua memória, por vários programas que tornam possível o seu funcionamento e por dispositivos de entrada e de saída de informação.

 

Fonte: FRANCO, Fernando – Introdução às Tecnologias de Informação. Lisboa, Planeta Editora, 2000. pág. 367

 

Para uma definição mais técnica de “Sistema de Computação” podemos dizer que é uma configuração que inclui todos os componentes funcionais de um computador e respectivo hardware. O sistema básico de um micro-computador inclui uma consola ou unidade de sistema, com uma ou mais unidades de disco, um monitor e um teclado. O hardware adicional – chamados periféricos – podem incluir diapositivos como a impressora, o modem e o rato. O software não costuma ser incluído no conceito de sistema de computador, embora o sistema operativo que executa o hardware seja conhecido como software do sistema.

 

Fonte: Dicionário Prático de Informática. MC Grawltill, 2000, pág 77

 

 

  Exemplos de Sistemas Computacionais

  • Automação Bancária
  • Assiduidade e Folha de Pagamentos
  • Controlo de Tráfico Urbano
  • Controlo Académico
  • Edição de Jornais e Revistas
  • Controlo de Elevadores
  • Autamação de Bibliotecas
  • Sistemas de Alarme em Edifícios

 

Componentes de Sistemas Computacionais

  • Hardware

             Computadores, periféricos e redes.

  • Software

              Os programas e arquivos de dados.

  • Informações

               Colecção de informações organizadas e sistematizadas necessárias ao desempenho das tarefas -e procedimentos.

  • Utilizadores

                Utilizadores e operadores que realizam as tarefas e procedimentos.

  • Procedimentos

                 Actividades realizadas pelos utilizadores e operadores, bem como pelos programas (procedimentos automatizados).

  • Documentação

                  Manuais e formulários que descrevem as operações do sistema.    

 

Categorias de Sistemas

Sistemas técnicos baseados em computador

São aqueles que incluem hardware e software, mas não incluem os operadoes e os processos operacionais. O sistema não está ciente que está sendousado para um determinado fim.

Sistemas sócotécnicos

São aqueles que incluem sistémas técnicos, processos operacionais e pessoas que usam e interagem esse sistema. Os sistemas sóciotécnicos são regidos por políticas e regras organizacionais.

 

Fonte: LEITE, Jair C. – Engenharia de Software. 2006. Disponivel em: <http://www.dimap.ufrn.br/~jair/ES/slides/Sistemas.pdf. Acesso em 22 de Dezembro de 2008

 

 Post publicado por Ivone Castro

 

Hardware

 

O hardware é uma das partes em que se pode dividir a informática. A enciclopédia audiovisual educativa – computadores define que:

 

O hardware é constituído por todos aqueles elementos que nos permitem tanto meter como tirar informação de um computador, assim como pelo próprio computador e por todos os constituintes responsáveis pelo processamento da informação. Desde as impressoras mais simples às mais modernas, incluindo os teclados, os ecrãs, as unidades de disco, etc., todos os elementos estão baseados nos princípios da electrónica, omnipresente em todo o equipamento.

 

Qualquer computador necessita de periféricos adequados que permitam uma fácil entrada e saída dos dados. Se não dispõe de uma informação de entrada quer sejam os dados que é necessário fazer ou o tipo de trabalho que é necessário realizar, não nos servirá de nada, uma vez, que não os conseguimos visualizar.

Os periféricos de um computador podem ser divididos em dois grandes grupos: os periféricos de entrada e os periféricos de saída. Eis alguns exemplos dos periféricos:

 

 Periféricos de entrada (enviam informação para o computador)

Teclado

 teclado2 Fonte da imagem:  http://pt.wikipedia.org/wiki/Teclado_(computador)

É um dispositivo de entrada que permite introduzir informação no ecrã sob a forma de texto e dar ordens para que o computador realize as tarefas que pretendemos.

Rato

rato1 Fonte da imagem: http://pt.wikipedia.org/wiki/Mouse

O rato é um dispositivo de entrada que controla os movimentos de um cursor, sob a forma de seta no ecrã, e permite seleccionar diferentes opções com mais rapidez do que com o teclado.

 Scanner

395px-apple_color_onescanner_600-27 Fonte da imagem: http://pt.wikipedia.org/wiki/Digitalizador

 Os scanners são dispositivos que permitem digitalizar qualquer documento impresso. Um scanner actua como uma impressora para imagens gráficas, mas com um funcionamento inverso.

 CD-ROM

 cdrom2 Fonte da imagem: http://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/thumb/5/5d/Etiquette_cd-rom_01.svg/320px-Etiquette_cd-rom_01.svg

 Os CD-ROM (Compact Disc-Read Only Memory) são apenas discos de leitura que apenas servem para extrair informação. Estes podem ser lidos directamente ou então copiados para outras unidades.

 
 Joystick

  joystick1 Fonte da imagem:  http://pt.wikipedia.org/wiki/Joystick

 Joystick é um periférico de comando normalmente utilizado em jogos. Possui uma anatomia que deve ser melhor que a utilização do rato ou teclado para comandar os eventos do jogo. Normalmente possui alguns botões e uma haste vertical que possui uma movimentação angular em relação a base do joystick.

 

Periféricos de saída (transmitem informação do computador para o utilizador)

Monitor

monitor Fonte da imagem: http://pt.wikipedia.org/wiki/Monitor_de_v%C3%ADdeo

É um dispositivo de saída que exibe informação visual (imagem, texto, gráficos). No ecrã visualizamos o modo como a UCP (unidade Central de Processamento) efectua o processamento de dados. A sua resolução depende da sua dimensão, do número e do tamanho dos pixéis.

Impressora

impressora Fonte da imagem:  http://pt.wikipedia.org/wiki/Impressora

Uma impressora é um periférico que, quando conectado a um computador ou a uma rede de computadores, tem a função de dispositivo de saída, imprimindo textos, gráficos ou qualquer outro resultado de uma aplicação.

Placa gráfica

placa-graficaFonte da imagem:  http://pt.wikipedia.org/wiki/Placa_gr%C3%A1fica

Placa gráfica é o componente de um computador que envia sinais deste para o monitor, de forma que possam ser apresentadas imagens ao utilizador. Normalmente possui memória própria, com capacidade medida em bytes.

 

Periféricos de entrada/saída (enviam e recebem informação para/do computador)

Modem

modemFonte da imagem:  http://www.pccomp.com.br/loja/images/modem500b.GIF

Os modems são periféricos tanto de entrada como de saída. Geralmente, utilizam-se como receptores ou transmissores nas comunicações entre computadores e os seus terminais, ou entre os terminais de um computador e os de outro.

Placa de som

placa-som Fonte da imagem:  http://pt.wikipedia.org/wiki/Placa_de_som

Placa de som é um dispositivo de hardware que envia e recebe sinais sonoros entre equipamentos de som e um computador, executando um processo de conversão com um mínimo de qualidade e também para gravação e edição.

Disco rígido

disco-rigFonte da imagem: http://pt.wikipedia.org/wiki/Disco_rigido

O disco rígido é a parte do computador onde são armazenadas as informações, ou seja, é a “memória permanente” propriamente dita (não confundir com “memória RAM”). É caracterizado como memória física, não-volátil, que é aquela na qual as informações não são perdidas quando o computador é desligado.

CD-RW

cdrwFonte da imagem:  http://pt.wikipedia.org/wiki/CD-RW

O Compact Disc ReWritable (CD-RW – Disco Compacto Regravável) é um disco óptico regravável.

Touschscreen

touschscreenFonte da imagem: http://www.blogtecnologia.net/fotos/2008/06/notebook-hp-tx1420.jpg

Estes monitores são compostos de um monitor CRT ou LCD comum e de uma película sensível ao toque. O funcionamento da camada sensível ao toque é bem interessante, baseando-se no uso do infravermelho. A tela é formada por vários emissores e receptores, que comunicam-se continuamente, tanto na horizontal quanto na vertical. Ao tocar a tela, interrompe-se a comunicação entre alguns, fazendo com que a posição do toque seja percebida.

 Existem também os periféricos de armazenamento.

 Periféricos de armazenamento (armazenam informação para/do computador)

Pen drive

pen Fonte da imagem:  http://pt.wikipedia.org/wiki/Ficheiro:Pen_drive_toshiba.jpg

Pen drive é um dispositivo de armazenamento constituído por uma memória flash tendo aparência semelhante à de um isqueiro ou chaveiro e uma ligação USB permitindo a sua conexão a uma porta USB de um computador.

 Disco rígido

 disco-rig1Fonte da imagem: http://pt.wikipedia.org/wiki/Disco_rigido

 O disco rígido serve para o armazenamento da informação.

 

Software

 

O conceito de software inclui tudo aquilo que faz parte de um computador, mas que no entanto, não faz parte do conjunto de elementos físicos do sistema. Trata-se de programas, de ferramentas, de aplicações que possibilitam a máquina de responder em qualquer momento satisfatoriamente às nossas necessidades. O software inclui desde os programas mais conhecidos até aos sistemas que permitem que a máquina fale e compreenda o que se lhe diz, escrevendo-o depois, como faria uma secretária humana.

Sistemas operativos

O Sistema Operativo controla os recursos do computador e fornece a base sobre a qual os programas podem ser escritos e executados. O Sistema Operativo é o software que controla e coordena o uso do hardware durante a execução de várias aplicações.

MS-DOS

O MS-DOS é uma linha de comandos para a gestão de ficheiros. Um ficheiro é um conjunto de informação relacionada e referenciada por uma designação comum composta por duas partes: o nome e a extensão (que identifica o tipo de ficheiro).

Windows

O Windows é o sistema operativo mais utilizado em todo o Mundo. Normalmente já vem instalado de origem nos computadores. O nome deste sistema operativo (Windows=janelas) reflecte a interface do seu sistema mas não é original da Microsoft.

O Windows só começou a ser tecnicamente considerado como um Sistema Operativo a partir da versão Windows NT. O que havia antes eram sistemas gráficos sendo executados sobre alguma versão dos sistemas compatíveis com DOS, como MS-DOS, PC-DOS ou DR-DOS. Somente o MS-DOS era produzido pela própria Microsoft.

Existem no entanto várias versões do Windows: Windows 1.0; Windows 2.0; Windows 3.0; Windows 3.1; Windows NT; Windows 95; Windows 98; Windows Millenium Edition (Me); Windows 2000; Windows XP; Windows 2003 Server; Windows Vista (com duas versões corporativas: Vista Business Edition e Vista Enterprise Edition; e com a versão Super: Vista Ultimate Edition).

Linux

O Linux é um sistema operativo que corre em quase todos os tipos de computadores existentes. È mais usado em ambientes de trabalho intensivo em rede e funciona muito bem como posto de trabalho individual. Pode ser usado em todo o tipo de ambientes empresariais, académicos, em casa, etc.

A diversidade de aplicações open source para Linux fez com que surgissem aplicações que permite executar no Windows o próprio Linux aplicações desenvolvidas para ele, como o XAMPP e o MobaLiveCD. De modo semelhante, é possível executar no Linux aplicações desenvolvidas para Windows, usando utilitários específicos para o efeito: WINE.

 

 Post publicado por Carla Rocha

4 Respostas to “Evolução Histórica”

  1. Rodrigues said

    pretendia que igualmente referinssem da evolução da historia das probabilidades na sua profunda investigação de modo apermetir tirar algumas ilações no que diz respeito.

  2. Rodrigues said

    o que me permitia tirar conclusões acerca deste tema, seria se provavelmente, conseguissem responder com prudencia a questão cima colocada, todavia julgo nos prossimos tempos poderem dar uma solução a cerca da duvida que ainda reside. tendo em conta que o que o site apresenta é a historia da evolução do sistema compuitacional e não a teoria das probabilidades que é a questão colocada.

  3. Rodrigues said

    sobre a evolução historica do sistema computacional, julgo apresetarem dados que de lagum modo irão orientar ao estudnte aprofundar algum conhecimento por forma a melhorar as suas pesquisas para os seus trabalhos, encorrar aos utilisadores e pesquisadorez para que continuem a lançar estas obras, mais tambem que laçem obras muito bem trabalhadas se calhar acabadas.

  4. Rodrigues said

    Em relação aquilo que seria o meu comentario, acerca do tema refgerido espero atigir as estpectativas.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

 
%d bloggers like this: